sábado, dezembro 16, 2006

Para infundir força

Estão na minha taça
a vertigem brilhante
a embriaguez borbulhando.
Grandes redemoinhos
sobre nós às avessas
estão na minha taça.
Um grande coração de urso
um grande coração de águia,
um grande coração de milhafre,
um grande vento que roda-
juntaram-se todos num só.
Estão na minha taça.
- Bebe-a agora.

(Poemas Ameríndios - Papagos- trad. de Herberto Helder)

(a minha amiga S.C. mandou-mo hoje e eu não resisto a partilhá-lo)

3 comentários:

darkangel_19 disse...

Não precisa de beber dessa taça porque já tem um grande coração. Partilhe-a com quem precisa de um pouco de alegria e calor no seu coração!E nunca perca essa alegria de viver!

juanolla disse...

Ó meu deus, o rodopio mágico das palavras! Obrigada, senhora autora do blog, por este momento efervescente de reencontro com elas!

mana from Leiria disse...

Lindissimo este poema! Apetece beber e partilhar esta taça... Vou roubá-la para dar aos pobres...