segunda-feira, janeiro 15, 2007

este fim-de-semana vi o documentário de Bruno Almeida, The Art of Amalia.
e não posso deixar de contar que adorei conhecer melhor esta extraordinária mulher. de uma força, de uma cultura, de uma dedicação, de uma energia notáveis. Extraordinária forma de vida, diria eu.



Estranha forma de vida

Foi por vontade de Deus
que eu vivo nesta ansiedade.
Que todos os ais são meus,
Que é toda a minha saudade.
Foi por vontade de Deus.


Que estranha forma de vida
tem este meu coração:
vive de forma perdida;
Quem lhe daria o condão?
Que estranha forma de vida.


Coração independente,
coração que não comando:
vive perdido entre a gente,
teimosamente sangrando,
coração independente.


Eu não te acompanho mais:
para, deixa de bater.
Se não sabes onde vais,
porque teimas em correr,
eu não te acompanho mais.


Amália Rodrigues

2 comentários:

darkangel_19 disse...

Apesar de não conhecer muito a vida e obra da Senhora, acho que até tem fados muito bonitos!

mana from leiria disse...

a mana realmente surpreende-me... em mim n é de estranhar, estou à beira dos 40... sugiro que ouça a versão desta musica do Paulo Gonzo...fantástica!!!!
bj.