segunda-feira, fevereiro 09, 2009

DIA DE CHUVA

O ar é de um amarelo escondido, como um amarelo-pálido visto através dum branco sujo. Mal há amarelo no ar acinzentado. A palidez do cinzento, porém, tem um amarelo na sua tristeza.
s.d.
Livro do Desassossego por Bernardo Soares. Vol.I. Fernando Pessoa. (Recolha e transcrição dos textos de Maria Aliete Galhoz e Teresa Sobral Cunha. Prefácio e Organização de Jacinto do Prado Coelho.) Lisboa: Ática, 1982. - 185
não fossem as dores nas costas e eu seria capaz de ver algum amarelo no dia...

1 comentário:

AnGeL_22 disse...

Alguém está a precisar de massagens...